Em xeque


Sabe quando o rei está encurralado no jogo de xadrez e qualquer movimento pode pôr fim a partida, levando a um temível e terrível xeque-mate?


Postado por Ronni Anderson no dia 19 de fevereiro de 2015

If you’re gonna start a war
You better know the choice you made is one worth fighting for
(Brooke Fraser – Start a war)

Sabe quando o rei está encurralado no jogo de xadrez e qualquer movimento pode pôr fim a partida, levando a um temível e terrível xeque-mate?

É bem assim que a vida pode nos colocar. Qualquer movimento em falso: xeque-mate. Xeque. Mate.

E é o fim.

A sensação é de medo pela próxima jogada. E meu primeiro texto do ano já me lembrava de ter coragem. Coragem para continuar jogando, a despeito do medo e da dor em potencial por, possivelmente, perder determinadas peças ao longo do jogo e do tempo.

Não vou me repetir, no entanto, e me (lhe) dizer para ter coragem. Já disse isso antes, apesar de ter de, devo confessar, repetir isso a todo instante nesses dias.

(-“Coragem, menino, coragem. A vida pede coragem”).

O medo da próxima jogada, certamente, pode nos paralisar. O temor do fim próximo, pode nos impedir de virar o jogo. De tomar decisões necessárias, que, por ventura, poderiam sim, levar nosso rei para um local melhor e mais seguro.

E mesmo que a jogada o levasse para um local mais arriscado, bem, talvez, isso poderia coloca-lo em posição de melhor visão do jogo para, então, tudo mudar.

O terror que os soldados inimigos geram não pode lhe impedir de conquistar.

A frieza que as notícias ruins do jornal destilam e a tristeza que todas as más previsões para esse ano fomentam, não devem nunca o impedir de, se for necessário, colocar o rei para pessoalmente lutar.

A vida certamente pode dizer xeque-mate em alguns momentos, mas nunca isso deve ser impeditivo para algo novo você tentar.

Xeque. Mate.

E é o fim.

E dói.

Mas um fim, como já dizem, pode levar a um novo começo.

O que não pode é o medo do novo nos deixar feito pedras. A aflição da mudança nos obrigar a permanecer com as peças onde estão, só porque tudo vai bem aparentemente. E o rei dorme.

O jogo só termina quando o verdadeiro fim chegar. E quem pode prever quando ele chegará?Até lá, acabarei um jogo e outro posso começar.

Assim, sem medo de me arriscar.